terça-feira, maio 23, 2006

hoje é k éeeeeeeeeeeeeee!!! nao tenho tido coragem pa recomecar a minha dieta.. mas hoje tem q ser mesmo... vou pa casa dia 23 junho e hoje é dia 23 de maio, por isso é mesmo o limite... um mesinho bem feito de dieta...

preciso do vosso apoio e ajuda para conseguir.....................................

hoje qd voltar das aulas passo pelos blogs para dar uma palavrinha

****

quarta-feira, maio 10, 2006

Ola a todos… pois é.. desapareci do mapa… escondi-me d mim propria, escondi-me do fracasso.. a verdade é que já não tenho controlo sobre a alimentacao já há algum tempo.. e por isso axei que voltar me poderia ajudar… preciso recomecar a minha dieta principalmente pelo meu estado psicologico, para alem do fisico, claro. Não voltei ao peso pesado que era antes mas engordei um bocadinho para me sentir bastante gorda.. algumas calcas já não vestem, outras ainda vestem.. mas kero voltar a sorrir.. por isso decidi voltar.. espero que compreendam…

sábado, fevereiro 18, 2006

eu compenso......

Ola... bem sei k ninguem me pediu pa responder ao kestionario, mas apeteceu-me antes de ganhar coragem pa estudar estatistica, que vou ter frequencia amanha. lol
meninas, desculpem a minha ausencia nos vossos blogs.. é k isto agora tem sido mais complicadito.. mas amanha dp da frequencia vou comentar =) apesar de ultimament nao comentar, nao ha um dia que nao veja as vossas vitorias, medos, e tou sp com voces..
Adoro vos meninas.
Vou compensar-vos pela minha ausenciaa
bjinhooooooooooooooooooooooooo

Um objecto: telemovel
Um mês: Agosto
Um nome: Bruno
Um número: 7
Uma cor: Preto
Uma flor: Cravo
Um livro: "Vendidas"
Um filme: "Uma mente brilhante"
Um pecado: Preguiça
Uma pedra: Esmeralda
Um animal: cão
Um signo: virgem
Um lugar: praia
Uma palavra: dedicação
Um cheiro: Canela
Uma parte do corpo: olhos
Um sentimento: amizade
Um verbo: dedicar
Um estação: verao
Um instrumento musical: violino
Uma bebida: Água
Uma comida: bacalhau com natas
Um gosto: sorrir
Um dia da semana: Sábado
Uma árvore: pessegueiro
Um brinquedo: peluche
Uma peça de roupa: Calças
Uma dúvida: o futuro
Uma frase feita: vive e deixa viver
Um disco: Hopes and fears - keane
Uma música: bedshaped - keane
Uma divisão da casa: o meu quarto
Um cosmético: base
Um feriado: natal
Uma nota musical: sol
Uma profissão: nutricionista
Uma qualidade: sinceridade
Um defeito: Pessimismo

quarta-feira, fevereiro 15, 2006


Para lá do espelho
"Não vale a pena dizer o contrário. A beleza ajuda, a beleza abre portas e, num primeiro contacto com alguém, é a beleza que salta a vista e não atributos moralmente elevados como a inteligência ou a generosidade. Quando olhamos para a fotografia de Brad Pitt não nos interessa muito se ele trata bem os velhinhos ou se ajuda os sem-abrigo. E não era preciso lermos um estudo publicado no Evolution and Human Behaviour para ficarmos a saber que a aparência é a caracteristica mais valorizada quando nos pedem para "avaliarmos" um desconhecido. Tem lógica. Também não é preciso pensar muito para nos lembrarmos de vários exemplos de "apartheid" em que a beleza assume o papel de uma raça ariana revisitada, os obesos são descriminados no emprego, as pessoas feias são relegadas para segundo plano em entrevistas de emprego e, no extremo oposto, as louras sao "burras" e as top model "superficiais". Para além do racismo, surge tambem o paternalismo: frases como "é muito gorda mas tao boazinha" ou "ela é tao simpatica que nem nos lembramos de como é feia" sao dispensaveis e, no mínimo, confrangedoras.
Todo este preâmbulo para dizer que, realmente, a imagem acaba sempre por contar. No bom e mau sentido. Nem que seja para nós próprios. Se o modo como os outros nos precepcionam interfere com a maneira como nos vemos quando olhamos para o espelho, entao talvez seja altura de pensarmos naquilo que realmente queremos ver. Por dentro e por fora. Ninguem quer ser rotulado de "boazinha", "queridinha", "engracadinha" ou "feinha". Alias, todas as palavras que acabam em "inha" sao duvidosas.
Propomos-lhe que se olhe com olhos de ver. Que observe, com atencao, os seus pontos fracos. que aprecie e tenha orgulho nos seus pontos fortes. subtraia os defeitos e multiplique as qualidades. por dentro e por fora."

segunda-feira, fevereiro 13, 2006



Ola meninas... tudo bem com voces?

Bem, a minha dietinha vai bem... ja me fartei de ouvir sermoes e mais sermoes e mais sermoes, antes de vir pos acores. isto porque tive ai um diazinho mt mal, mt fraquinha, e eles axam que é de comer pouco...

A novidade é que ja estou nos Acores, xeguei ontem à noite.... e a outra é que ha menino novo.. eheheh pena que a viagem ja estivesse marcada e eu com os bilhetes na mao, pois queria passar com ele o dia dos namorados... mas prontos é a vida.....

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Parabens a mim =)






Ola minhas lindas!!
Hoje é um dia muitooooooooo especial para mim... Faz hoje um mês que comecei esta dieta, e faz um mes que nao tenho um unico deslize ou compulsao... estou orgulhosa, pois desde setembro que nao sabia o que era viver sem compulsoes.... Ainda nao me pesei mas vejo pela roupa que tem dado resultado =)

Bem vou por aki a lista dos alimentos que me acompanharam ao longo deste mesito:

- barra de cereais (marca hero)
- queijinhos frescos magros (1 por refeicao)
- iogurtes magros (tomo mta atencao aos rotulos)
- alface
- delicias do mar (3 por refeicao)
- fiambre de peru (1 fatia por refeicao)
- tostas integrais (so 2 numa refeicao)
- atum conservado em agua (meia lata por refeicao)
- gelatina light cha verde (1taca por refeicao)
- clara de ovo cozido (de um so ovo por refeicao)
- tomate (meio por refeicao)
- tostas de arroz integral (2 por refeicao)

E foram estes os alimentos que me tem acompanhado neste mes.. claro que nao todos juntos nem nada que se pareca... o exemplo de um jantar meu: 2tostas de arroz integral com 1 iogurte magro (estas tostas sao taooooooooooooooo boas, sabem a pipocas, e so tem 28 kcal por tosta).

Quanto ao peso, tou a pensar finalmente pesar-me na 2ªfeira que vem... mas vamos la ver se nao mudo de ideias...

Mil beijos e muita forca guerreiras light


Quanto ao artigo que vou postar, todas ja estamos fartas de saber disto, mas gostei da forma como o artigo esta escrito: (se se identificam com algum destes tipos digam com qual)

Distúrbios alimentares
Os distúrbios alimentares são responsáveis pelos maiores índices de mortalidade entre todos os tipos de transtornos mentais, ocasionando a morte em mais de 10% dos pacientes.
A grande maioria - mais de 90% - daqueles que sofrem de transtornos alimentares são mulheres adolescentes e jovens. Uma das razões pelas quais mulheres dessa faixa etária são mais vulneráveis a esses transtornos é a tendência de fazerem regimes rigorosos para obterem a silhueta "ideal".
Falaremos de cada um deles agora. Leia com atenção e, ao se identificar com algum deles, procure um especialista.

Anorexia nervosa
É muito bom redescobrir as formas do corpo à medida que o ponteiro da balança começa a descer, mas tem gente que, mesmo sem nunca ter sido gorda, alimenta um desejo obsessivo de ficar magérrima!
O problema é que essas pessoas não ficam só na vontade de emagrecer. Elas desenvolvem um tipo de rejeição à comida que as faz perder o controle. Isso é a anorexia nervosa, uma disfunção que pode aparecer sozinha ou em parceria com a bulimia (compulsão pela comida, seguida de culpa que faz a pessoa utilizar métodos de expulsão do que comeu, de seu corpo).
A rejeição à comida (anorexia, com incidência de 1%) é classificada como um transtorno alimentar e suas vítimas são quase sempre (95% dos casos) mulheres jovens, de 15 a 20 anos, excessivamente preocupadas com a aparência e mais sensíveis às influências dos padrões de beleza em vigor para firmar sua personalidade. A doença também ataca mulheres na faixa dos 30 e raramente as acima dos 40. Porém não quer dizer que a adolescente que adora estar na moda esteja sujeita a manifestar o problema.
Um dos primeiros sintomas é a perda da noção que a pessoa tem da sua imagem corporal, mesmo magra ela se vê gorda, acredita que precisa emagrecer ainda mais, e que o melhor jeito é parar de comer. Normalmente essas mulheres não acreditam que este medo de engordar possa ser sinal de alguma disfunção. A prática mostra que uma das partes mais difíceis do atendimento para tratar a anorexia nervosa é convencer a pessoa de que ela está doente.
Normalmente, essas pessoas só são levadas à tratamento quando a anorexia já está em nível
elevado, ou seja, quando os sinais já são perceptíveis, quando o emagrecimento já é exagerado, aí é que os parentes (pois a pessoa não se vê tão magra) ou amigos próximos percebem que já ultrapassou o limite do normal.
A família sempre deve insistir no tratamento mesmo que a doente queira parar. O atendimento especializado é a única saída para controlar o problema antes que o corpo exija atendimento médico por causa de uma emergência.
Sem tratamentos, a anorexia nervosa:
Desgasta emocionalmente.
Debilita os órgãos.
Provoca distúrbios associados à desnutrição.
Lesa o aparelho digestivo quando há vômitos constantes.
Provoca arritmias cardíacas.
Nas adolescentes, os principais sinais da anorexia são o enfraquecimento, a perda de peso visível e a ausência de menstruação.
Tratamento
Reidratar o organismo, recomeçando a alimentação à base de soros e líquidos (o estômago reduzido por não comer a tempos não suporta alimentos sólidos).
Introduzir gradualmente alimentos pastosos até chegar aos sólidos.
A pessoa também vai precisar reaprender a conviver com os outros durante as refeições, entrar em supermercados, fazer compras, ir a festas, participar dos almoços com a família, enfim, voltar a lidar com o lado social da comida.
Quanto à imposição, ela só é feita em casos que já estão muito graves, com perigo de morte (arritmia cardíaca, vômitos espontâneos). Para os demais casos ela deixou de ser recomendada porque tira o paciente da vida social, o que dificulta ainda mais a sua readaptação.
A psicoterapia é muito importante para a eficácia do tratamento. Através dela a pessoa vai alterar os hábitos adquiridos e voltou a comer.
É recomendado também que a família do paciente participe de sessões de terapia familiar em grupo para auxiliar a paciente em seu ambiente.
Sintomas
Preocupação excessiva com a alimentação. A pessoa passa a maior parte do tempo pensando no medo de engordar.
Sensação intensa de culpa e uma ansiedade desproporcional por eventualmente ter saído um pouco da dieta.
As pessoas dizem que você está muito magra, suas roupas estão cada vez mais largas, mas você não se acha magra e ainda quer perder peso.
Menstruação irregular, ou não existente.
Obs: se você se identificou com um desses tipos, consulte um médico psiquiatra ou endocrinologista.
As estatísticas revelam que 90% dos pré-adolescentes com problemas de bulimia e anorexia são filhos de pais obesos ou excessivamente preocupados em emagrecer.

Bulimia nervosa

Pessoas com bulimia nervosa ingerem grandes quantidades de alimentos e depois eliminam o excesso de calorias através de jejuns prolongados, vômitos auto-induzidos, laxantes, diuréticos ou na prática exagerada e obsessiva de exercícios físicos.
Devido ao "comer compulsivo seguido de eliminação" em segredo, e ao fato de manterem seu peso normal ou com pouca variação deste, essas pessoas conseguem muitas vezes esconder seu problema das outras pessoas por anos.
Assim como a anorexia, a bulimia caracteristicamente se inicia na adolescência. A doença ocorre mais freqüentemente em mulheres, mas também atinge os homens.

Indivíduos com bulimia nervosa, mesmo aqueles com peso normal, podem prejudicar gravemente seu organismo com o hábito freqüente de comerem compulsivamente e se "desintoxicarem" em seguida.
Sintomas comuns da bulimia
Interrupção da menstruação.
Interesse exagerado por alimentos e desenvolvimento de estranhos rituais alimentares.
Comer em segredo.
Obsessão por exercício físico.
Depressão.
Ingestão compulsiva e exagerada de alimentos.
Vômitos ou uso de drogas para indução de vômito, evacuação ou diurese.
Alimentação excessiva sem nítido ganho de peso.
Longos períodos de tempo no banheiro para induzir o vômito.
Abuso de drogas e álcool.
Personalidade: pessoas que desenvolvem bulimia quase sempre consomem enormes quantidades de alimentos, geralmente sem valor nutritivo, para diminuir o stresse e aliviar a ansiedade. Entretanto, com a extravagância alimentar, surgem a culpa e depressão.
Pessoas com profissões ou atividades que valorizam a magreza, como modelos, bailarinos e atletas, são mais suscetíveis ao problema.
Tratamento
Quanto mais cedo for diagnosticado o problema, melhor. Quanto mais tempo persistir o comportamento alimentar anormal, mais difícil será superar o distúrbio e seus efeitos no organismo.
O apoio e incentivo da família e dos amigos podem desempenhar importante papel no êxito do tratamento. O ideal de tratamento é que a equipe envolva uma variedade de especialistas: um clínico, um nutricionista, um psiquiatra e um terapeuta individual, de grupo ou familiar.

Comer-compulsivo


É um dos transtornos alimentares que se assemelha à bulimia, pois caracteriza-se por episódios de ingestão exagerada e compulsiva de alimentos e, no entanto, difere da bulimia, pois as pessoas afetadas não produzem a eliminação forçada dos alimentos ingeridos (tomar laxantes e/ou provocar vômitos).
Pessoas com esse transtorno sentem que perdem o controle quando comem. Ingerem grandes quantidades de alimentos e não param enquanto não se sentem "empanturradas".
Geralmente apresentam dificuldades em emagrecer ou manter o peso. Quase todas as pessoas
com esse transtorno são obesas e apresentam história de variação de peso. São propensas a vários problemas médicos graves associados à obesidade, como o aumento do colesterol, hipertensão arterial e diabetes.
É um transtorno mais freqüente em mulheres.
Sintomas
Comer em segredo.
Depressão.
Ingestão compulsiva e exagerada de alimentos.
Abuso de drogas e álcool.
Tratamento
O êxito é maior quando diagnosticados precocemente. Precisa de um plano de tratamento abrangente, em geral, um clínico, nutricionista ou um terapeuta, para lhe dar apoio emocional constante, enquanto o paciente começa a entender a doença de uma forma de terapia que ensine os pacientes a modificar pensamentos e comportamentos anormais, que em geral, são mais produtivas.


Na calada da noite
A ingestão exagerada e compulsiva de alimentos, característica da bulimia e do comer compulsivo foi batizada, em inglês, com o nome de binge eating (orgia alimentar). Elas geralmente ocorrem na calada da noite, longe do olhar de censura de outras pessoas, e são acompanhadas por uma sensação subjetiva de perda de controle, seguida de culpa.
Assim como ocorre na compulsão pelo álcool, pelas drogas, pelo sexo, ou em outras formas de dependência, as causas profundas do comer compulsivo continuam a ser um mistério para os estudiosos.
Indivíduos obesos têm maior risco de doenças cardíacas e alguns tipos de câncer (estômago/intestino)

terça-feira, janeiro 31, 2006


Fast-food pode viciar tanto quanto heroína

Hambúrgueres e batatas fritas podem causar tanto vício quanto a heroína, de acordo com cientistas.

Pesquisadores nos Estados Unidos encontraram provas que sugerem que as pessoas podem se tornar excessivamente dependentes do açúcar e da gordura das fast-foods.

A descoberta dá mais peso a afirmações de que comer demais pode ser simplesmente debitado na falta de auto-controle, mas é contestada por outros pesquisadores.

Ela também pode explicar as crescentes taxas de obesidade em países ocidentais.

Ansiedade

A pesquisa foi feita pela equipe do cientista John Hoebel, da Universidade de Princeton, em Nova Jersey, que baseou sua teoria no estudo de ratos.

Eles descobriram que ratos alimentados com uma dieta contendo 25% de açúcar são levados a um estado de ansiedade quando o açúcar é removido.

Os sintomas incluíram ranger de dentes e tremores - semelhantes àqueles vistos em pessoas privadas de nicotina e morfina, de acordo com os pesquisadores.

Hoebel disse acreditar que comidas com alto teor de gordura estimulam a produção de substâncias que provocam reações químicas de prazer no cérebro.

"A implicação é que alguns animais - e, por extensão, algumas pessoas - podem se tornar excessivamente dependentes de doces", disse ele.

Desejo maior

Outros estudos publicados na revista New Scientist reforçam essa teoria.

Ann Kelley, uma neurocientista da Faculdade de Medicina da Universidade do Winsconsin, estudou o comportamento de ratos depois que eles receberam alimentos doces, salgados e gordurosos.

Ela encontrou uma ligação entre substâncias químicas no cérebro e o desejo por esse tipo de comida.

A cientista estimulou o cérebro dos ratos com uma versão sintética do opióide natural encefalina. Isso levou ratos a comer até seis vezes mais do que sua dieta normal de gordura.

Ela também identificou mudanças duradouras na química cerebral dos ratos - semelhante àquela causada por uso prolongado de morfina ou heroína.

"Isso significa que a simples exposição a comida saborosa e prazeirosa é suficiente para mudar a expressão do gene e isso sugere que você pode se tornar viciado em comida", disse.

Entretanto, outros especialistas levantaram dúvidas sobre a possibilidade de pessoas se tornarem viciadas em comida.

Jeane Randolph, da Universidade de Toronto, criticou a teoria.

Ela diz que fast-food leva a taxa de açúcar no sangue a chegar ao máximo e depois cair, criando um desejo natural por mais fast-food.